Passos Importantes Para Aumentar a Produtividade Na Sojicultura

Passos Importantes Para Aumentar a Produtividade Na Sojicultura

Colheita de Soja na lavoura do Grupo Água Tirada

 

Importância da Soja

A soja é uma oleaginosa muito importante para a agricultura Brasileira e, em 2020, o complexo soja (farelo, grão e óleo) representou quase 35% do faturamento total do agronegócio. Para a safra 2021/2022 estima-se um superavit de aproximadamente 6 milhões de toneladas na balança.
Ocupando 56% da área total destinada ao plantio de grãos no Brasil, a soja é um produto versátil, rico em proteína, cujo principal destino é a composição de rações animais, principalmente de aves, suínos e bovinos, mas que também tem ingressado na dieta humana.
Do ponto de vista socioeconômico, a sojicultura é responsável pela geração de empregos no campo, pois possui uma demanda grande de trabalhadores nas lavouras, durante todo o período da safra.


Quando deve ser feita a colheita?

Todas as etapas de cultivo da soja devem ser executadas com muito planejamento, uma vez que um passo mal executado pode prejudicar completamente a safra anual. Entretanto, a colheita é uma das etapas mais importantes para garantia da qualidade dos grãos. Isso porque a colheita, que ocorre de janeiro a abril na região centro-oeste, depende do ponto de maturidade e umidade das vagens.
Sendo assim, a identificação do momento ideal da colheita é capaz de prevenir perdas na lavoura, e deve ocorrer quando 95% das vagens estiverem maduras (estádio R8) e os grãos tiverem umidade entre 13 e 15%. Dessa maneira ocorrem menos danos mecânicos durante a colheita.
Alguns produtores ainda utilizam a técnica de dessecação do grão para acelerar o período de colheita, o que também possibilita o plantio em um período mais adequado.

 

O que fazer para obter o sucesso na colheita?

Alguns passos podem ser seguidos para se obter o maior ganho produtivo sobre a safra plantada no ano, e listamos eles logo abaixo:

 

Acompanhamento da safra in loco através de softwares inteligentes.

1) Planejamento da safra


O planejamento da safra é o primeiro passo para uma colheita bem sucedida no final do período de cultivo, e deve envolver diversos processos. O agricultor deve escolher bem as cultivares, de acordo com as características do solo e clima da região, além de realizar o planejamento de fertilizantes e defensivos agrícolas que serão utilizados, sempre ponderando o melhor custo/benefício. As sementes escolhidas para a etapa de semeadura devem ser sementes de alta qualidade fisiológica, capazes de gerar plantas fortes, e o investimento em manejo integrado de pragas e doenças agrícolas é de extrema importância, uma vez que muitas doenças podem se instalar no fim do ciclo de cultura da soja.

 

2) Regulagem das máquinas colheitadeiras:

As máquinas, apesar de possuírem tecnologia específica para a colheita de soja, podem promover prejuízo às vagens quando estão mal reguladas. Por isso, é fundamental que o operador realize a verificação do maquinário antes de dar início ao processo:


- Velocidade da colhedora: deve estar entre 4 e 6,5 Km/h. Velocidades muito altas podem provocar quebra dos grãos colhidos.
- Barra de corte: deve estar ajustada a altura da planta. Se estiver muito alta, pode promover a debulha das vagens.
- Molinete: deve ter velocidade de rotação ajustada, para que não jogue os grãos para fora da recolhedora.
- Sensores: devem estar calibrados, permitindo um acompanhamento acurado do nível de umidade e volume dos grãos colhidos em cada talhão.
- Peneiras: responsáveis pela separação das vagens em tamanhos e pela limpeza final, devem ter os orifícios regulados para evitar perdas.

 

3) Armazenamento dos grãos

Os grãos devem ser armazenados em locais apropriados que permitam a preservação da qualidade e da quantidade da produção.
Os silos onde o grão será armazenado devem estar limpos e livres de impurezas, restos culturais da soja e de outros agentes com potencial contaminante, como fungos. Os grãos armazenados devem ser totalmente protegidos de fatores externos, como umidade, radiação solar e pragas urbanas para evitar a sua deterioração.

 

A finalização da safra da soja, após as etapas de colheita e armazenamento, é uma tarefa complexa, que envolve profissionais multidisciplinares. Porém, um bom planejamento do plantio e do momento de colheita, a regulagem das máquinas e o armazenamento adequado dos grãos são etapas determinantes na qualidade do produto final obtido.

 

Os pilares de um excelente rendimento de carcaça

Os pilares de um excelente rendimento de carcaça

Existem diversas polêmicas envolvendo o rendimento de carcaça, uma vez que o assunto geralmente é tema de debate entre pecuaristas e frigorífico.

De acordo com o Decreto 9.013 de 2017 (RIISPOA), a carcaça é composta pelo bovino abatido, sem cabeça, cauda, mocotós e couro. O rendimento de carcaça, então, é definido como a relação entre o peso da carcaça e o peso vivo do bovino abatido.

O excelente desempenho de rendimento de carcaça na balança do frigorífico envolve diversos aspectos dentro da porteira, como a nutrição adequada do gado, boa sanidade e a seleção de uma genética de elite. Muitas vezes os pecuaristas podem ter dificuldade de alinhar os três pilares, e por esse motivo o desempenho do rendimento de carcaça do rebanho não é o melhor possível.

Veja logo abaixo como os fatores citados podem interferir num excelente rendimentos de carcaça:

1 - Nutrição Adequada:

O manejo nutricional do rebanho é o que vai possibilitar o ganho de peso do gado. Por mais que pareça óbvio, uma dieta balanceada e que atende às necessidades nutricionais do rebanho deve ser alinhada com o tipo de produção para a qual está se destinando o gado.

A dieta para o gado que será destinado a produção de carne tipo commodity, por exemplo, necessita de um menor aporte calórico e energético do que a dieta do gado especializado para produção de carne com marmoreio. Sendo assim, o pecuarista deve estabelecer o objetivo da produção de carne para conseguir projetar o rendimento de carcaça esperado no frigorífico.

Além disso, o balanceamento adequado entre a proporção de volumoso e concentrado é ideal para evitar problemas metabólicos no gado confinado no período de terminação, que causam prejuízos econômicos aos pecuaristas e influenciam no ganho de peso diário do rebanho.

2 - Boa sanidade:

Os bovinos estão sujeitos a adquirir doenças infectoparasitárias durante todo o seu ciclo produtivo. Algumas doenças que acometem os bezerros, como as onfalopatias causadas pela cura inadequada do umbigo, podem causar perda dos animais ainda na etapa de cria, ou podem ainda repercutir num baixo nível de ganho de peso diário. Um baixo nível de GPD vai influenciar num menor rendimento de carcaça no frigorífico após o abate desse animal.

Outras doenças podem influenciar nas taxas de GPD, e por esse motivo é ideal estabelecer um calendário sanitário para os rebanhos, que deve incluir o plano de vacinação do gado e também o plano de aplicação de antiparasitários e produtos carrapaticidas. Mas, é importante sempre se atentar ao período de carência desses medicamentos e respeitar os prazos de aplicação dos mesmos, evitando qualquer tipo de problema com o frigorífico.

Além disso, a aplicação de vacinas e outros medicamentos deve ser sempre feita com agulhas novas e íntegras, e o gado deve ser contido de maneira adequada nos bretes no momento do manejo de vacinação. Isso vai prevenir a ocorrência de abscessos vacinais que, além de comprometer o rendimento de carcaças por conta da remoção de porções de carne contaminadas, podem gerar embargos e proibições na exportação da carne.

3 - Genética de elite:

Na formação de um rebanho comercial, a escolha de um reprodutor de elite é fundamental para atingir os índices desejados na balança do frigorífico. O reprodutor deve ser capaz de imprimir um ótimo acabamento de carcaça na progênie, além de ser capaz de gerar filhos precoces, que vão ganhar peso mais rapidamente.

O potencial genético para produção de carne do rebanho deve ser explorado através do manejo nutricional e, através da genética, também é possível selecionar animais mais resistentes a determinadas afecções, como animais resistentes à ectoparasitas e resistentes a problemas no casco, que podem impactar no seu desempenho produtivo.

Ijhadu da AT é um exemplo de reprodutor da Água Tirada que imprime ótimo acabamento de carcaça e possui filhos em centrais com marmoreio superior, possuindo aptidão genética para ganho de peso, musculosidade e produção de carne.


Os três fatores relatados influenciam diretamente o rendimento de carcaça no frigorífico, e devem ser sempre os pilares preconizados pelos pecuaristas na formação e no manejo dos rebanhos.

Características raciais que indicam eficiência produtiva

Características raciais que indicam eficiência produtiva

No momento da formação de rebanhos, os pecuaristas costumam selecionar os reprodutores de acordo com as características reprodutivas, como precocidade sexual, intervalo entre partos e habilidade materna, já que estas características muitas vezes são sinônimo de animais mais pesados no final do ciclo. Entretanto, além das características reprodutivas, algumas características zootecnicas da raça Nelore também são indicativas de eficiência produtiva e saúde do gado.

4ª Convenção Água Tirada

4ª Convenção Água Tirada

A 4ª edição da Convenção Água Tira pôde, mais uma vez, reunir e celebrar os colaboradores do Grupo, transmitindo a história e a visão de uma empresa referência na Pecuária para aqueles que seguem na missão de produzir alimentos para o Brasil e para o mundo.

Pecuária no Pantanal: o Modelo de Produção Ideal

Pecuária no Pantanal: o Modelo de Produção Ideal

O Pantanal possui diversos tipos de gramíneas (pastos) naturais e fertilidade das regiões alagadas todos os anos. Por esse motivo, o Pantanal atraiu a pecuária, que é praticada de forma extensiva na região desde o século XVIII. Além de contribuir com a sustentabilidade, o modelo de pecuária do Pantanal também contribui com a permanência do homem no campo, tendo importância social, além da econômica para a região.

A Importância da Conservação dos Solos

A Importância da Conservação dos Solos

Ao longo do tempo, a atividade agrícola vem se desenvolvendo cada vez mais. Isso ocorre porque à medida que a população mundial aumenta, a demanda por alimentos também aumenta de forma proporcional, e faz-se necessário desenvolver a agricultura para suprir a procura demandante por comida. Mas, antes de cultivar qualquer tipo de alimento, é necessário um solo bem conservado e fértil, capaz de proporcionar a germinação das sementes plantadas, independente de qual seja. Conservar os solos faz parte de um plano de futuro sustentável, onde haverá alimentos para todos. O uso seguro e conservacionista dos recursos da terra garante que haverá disponibilidade desses recursos para as próximas gerações.

 

Boas Práticas e Bem-Estar Animal no Manejo de Bezerros

Boas Práticas e Bem-Estar Animal no Manejo de Bezerros

A criação de bezerros requer uma série de cuidados e atenção redobrada aos detalhes do manejo que podem interferir significativamente nos resultados da produção final. Por esse motivo a adoção de boas práticas e bem-estar animal no manejo de bezerros é fundamental para garantir uma produtividade excelente na etapa final da criação dos bovinos.